Astrofotografia: A um clique de distância do espaço e seus corpos celestes

Créditos: Facebook

Victor Hugo Cavalcante: Primeiramente muito obrigado por nos conceder esta entrevista sobre esta incrível arte fotográfica e gostaria de começar com a seguinte pergunta: O que é astrofotografia? E como começou sua relação com esta técnica de fotografia e com a fotografia em si?

Rafael Compassi: Eu que agradeço a oportunidade de mostrar essa "arte" aqui, Victor. Vamos lá: a astrofotografia é uma derivada da fotografia, mas especializada na captura dos objetos celestes, sejam planetas, nebulosas, galáxias e até a lua, através de imagens.

Eu comecei de curioso, lá pelo fim dos anos 90, com máquina emprestada, de filme ainda. Lembro que era bem complicado revelar, pois invariavelmente não aparecia quase nada no negativo, somente pontinhos que os técnicos de revelação não transformavam em fotos por acharem que "queimou".

Toda vez tinha que ir olhar o negativo e pedir para fazer cópias de qualquer jeito. E nisso foi evoluindo com o tempo, com a chegada das máquinas digitais facilitou muito, pois não precisa mais esperar dias para ver se a imagem saiu borrada ou fora de foco.

Nenhuma descrio de foto disponvel

Victor Hugo Cavalcante: Esta técnica da fotografia está cada vez mais popular no Brasil, como você enxerga a produção de materiais que auxiliem os fotógrafos amantes desta técnica no Brasil, e porque ela se tornou tão popular agora se já era conhecida faz tempo no nosso país?

Justamente pela evolução digital, fica mais fácil pesquisar técnicas, analisar na hora a foto feita. Antes disso era bem complicado aprender sobre astrofotografia, teria que importar livros, ou entrar em algum clube de astronomia grande que tivesse algum astrofotógrafo para aprender, ou ainda meter a cara e fazer experiências, que acho que foi o que a maioria do pessoal "da antiga" fez.

Hoje existem muitos grupos no Facebook sobre astrofotografia em que a comunidade posta as imagens feitas, fala os detalhes do equipamento usado, ajuda muito quem inicia, além dos tutoriais existentes no Youtube.

Victor Hugo Cavalcante: Quais as dicas de materiais que você daria para um fotógrafo amador, apesar de também ser um, que gostaria de fazer mais pesquisas sobre o assunto discutido nesta entrevista?

Recomendaria ler sobre o assunto, ver algum tutorial básico nem que seja. É muito simples fazer uma astrofoto em que apareça a via láctea, por exemplo, usando uma DSLR apontada para o céu, com alguns segundos de exposição já é possível ver mais estrelas que são visíveis a olho nu. Isso claro em local escuro, longe dos grandes centros por causa da poluição luminosa, inimiga número um dos astrofotógrafos.

Victor Hugo Cavalcante: Qual a dica de produtos que você daria para quem quer começar a se aventurar na astrofotografia?

O primeiro produto seria o conhecimento, esse é de graça e evita muitas frustrações. Depois sim, uma DSLR comum mesmo, usada. Algo como uma Canon 1000D ou T1i já dá para fazer muitas imagens boas, mesmo sem montagem com acompanhamento.

Victor Hugo Cavalcante: Falando em produtos quantos mais ou menos um fotógrafo desembolsa para comprar um produto de qualidade para poder aproveitar a beleza do céu e dos astros?

Essa pergunta é como perguntar o peso para uma mulher, ninguém gosta de responder (Risos). Equipamentos realmente bons são realmente caros. Mas não precisa gastar uma pequena fortuna para poder fotografar o céu, como disse anteriormente, uma DSLR usada sai por volta de uns setecentos reais. Com isso já dá para entrar na astrofotografia tranquilamente.

Daí depois vai se aprofundando, com uma montagem equatorial com acompanhamento (que rastreia o movimento das estrelas) vai mais uns dois mil. Mais que isso a brincadeira fica bem mais séria, como uma câmera astronômica refrigerada, na casa dos cinco mil, um telescópio na casa dos três mil, uma montagem mais robusta, mais uns cinco mil, sistema de guiagem automática e vai longe isso.

Victor Hugo Cavalcante: Porque apesar de tantos amadores se interessarem nesta técnica ainda não há profissionais no Brasil?

Daí uma pergunta interessante. Por profissional entendo como alguém que viva disso, tire seu sustento disso. Acho que não conheço ninguém (ao menos no Brasil) que consiga sobreviver fazendo só isso, sequer ganhando algum dinheiro com astrofotografia.

Claro, há exceções, quando se vende alguma imagem para uma revista americana, ou se ganha algum grande concurso internacional, mas são raríssimos casos. É só amor pelo hobby mesmo.

Victor Hugo Cavalcante: Como dito anteriormente não há muitos profissionais na astrofotografia brasileira, como então os fotógrafos costumam se ajudar?

A comunidade de astrofotografia no Brasil é bem unida, antigamente através dos fóruns, como o Cosmofórum, hoje em dia em grupos de Facebook e Whatsapp, sempre trocam ideias, compartilham técnicas e dão uma orientada aos iniciantes que realmente querem aprender. A ideia é não dar o peixe, mas ensinar a pescar por assim dizer.

Victor Hugo Cavalcante: Falemos um pouco sobre seu canal o Astrofoto, quando surgiu a ideia de cria-lo?

O Canal Astrofoto foi uma ideia que tive em 2017 como forma de compartilhar conhecimento. Sempre estava ajudando e tirando dúvidas dos amigos nos grupos, fóruns e comecei a perceber que as dúvidas eram muito parecidas. Como escolher uma câmera, como fazer fotos do céu, como processar elas, como alinhar uma montagem, entre outros assuntos acabaram virando vídeo-tutoriais.

E daí expandi um pouco, transmitindo sessões de captura ao vivo, onde converso com os participantes da live, fiz uma transmissão de uma chuva de meteoros, algumas transmissões em encontros de astrofotografia, visita em observatório de colegas.

E ultimamente fiz o Buteco da Astrofoto que é um papo informal com alguns dos astrofotógrafos mais conhecidos no Brasil, ouvindo as suas histórias e experiências.

Victor Hugo Cavalcante: Quais astrofotógrafos profissionais e amadores você mais costuma acompanhar? E quais profissionais desta técnica te inspiram?

Um que me inspirou muito foi o Rodrigo Andolfato (que inclusive tem um blog que recomendo) sempre considerei suas imagens fantásticas e serviram de marco para meu desenvolvimento nessa área. Outro colega que acompanho há muito tempo é o Avani Soares, especializado em fotos lunares e planetárias de alta resolução. Existem muitos para mencionar, mas vamos tentar: Leandro Fornaziero com suas imagens fantásticas, o lusitano Pedro Ré (que tive o prazer em conhecer pessoalmente em 2017 em um encontro de astrofotógrafos), Delberson de Souza, o grande mestre José Carlos Diniz, Carlos Fairbairn, Gabriel Santos, Maicon Germiniani, Fabio "plocos" e alguns internacionais, como Rogelio Bernal, Damian Peach, Marcel Drechsler, Alberto Pisabarro entre outros.

Victor Hugo Cavalcante: Você também acompanha alguma mídia social sobre astrofotografia? Quais você indicaria e por quê?

Sim, acompanho alguns grupos no Facebook, como Astrofotografia Amadora, que acho que é o maior em língua portuguesa e outros em inglês, como o Telescope addicts e o Amateur Astrophotography Magazine. Existe também um site muito bom, que é uma espécie de Instagram da astrofoto, que é o Astrobin. 

Acompanhar esses grupos nas mídias sociais é a forma que temos hoje de compartilhar nossas imagens, discutir técnicas, babar com equipamentos caros e aprender sempre mais. Ou simplesmente apreciar as imagens se a pessoa ainda não conhece nada do mundo da astrofotografia.