Watchin: Monitorando sua saúde o dia inteiro

Créditos: Facebook

Victor Hugo Cavalcante: Primeiramente muito obrigado por nos conceder esta entrevista e gostaria de começar com a seguinte pergunta: Com tecnologia avançada, o serviço Watchin chega no Brasil para trazer um serviço de tecnologia aliada ao serviço de saúde sem você precisar se locomover e de uma forma muito mais rápida e prática. Afinal, você como profissional especializada em saúde pública acha que a tecnologia on-line seria a evolução da relação médico - paciente? Por quê?

Carolina Candeia: Na verdade, o Watchin não tem a pretensão de substituir os médicos. Mas, através da tecnologia, ajudar médicos e enfermeiros a atuar de forma de precoce e mais assertiva na prevenção de agravos na saúde. Desta forma, acredito que Watchin seja uma evolução do jeito de cuidar.

Victor Hugo Cavalcante: Com um investimento inicial de R$ 400 mil, o Watchin tem a expectativa de atingir até 2023, mais de 100 mil usuários. Como está sendo realizado esta divulgação do produto?

Este foi o investimento inicial do projeto, outros aportes precisarão ser feitos para atingirmos a meta dos 100 mil usuários. Usaremos duas frentes: online - mídia digital, redes sociais, Google adwords, site e mídia espontânea. Offline - eventos e feiras de saúde e longevidade e parcerias com outros players do mercado.

Victor Hugo Cavalcante: O público alvo do app são idosos com mais de 60 anos, o qual se espera atingir o Brasil inteiro. Quando esta ser alcançada vocês pretendem lançar o serviço para outras faixas etárias?

O Watchin já pode ser usado por pessoas de qualquer idade que desejem manter-se saudáveis. Entretanto, de fato, as pessoas mais vulneráveis à presença de doenças crônicas, episódios de queda e internações hospitalares são os 60+. Normalmente, estes possuem vários patologias associadas e uma infinidade de medicamentos que, na maioria dos casos, não conversam entre si. Por isso, precisam de maior atenção, cuidado e vigilância.

Victor Hugo Cavalcante: Como funciona este serviço e como ele passa as informações aos profissionais da Saúde On Life (SOL)? Se caso a pessoa que estiver usando este aparelho passe mal, como o Watchin avisa aos contatos mais próximos da pessoa?

O funcionamento é simples e acontece em cadeia. O relógio coleta os dados no pulso do usuário, via Bluetooth encaminha para o aplicativo. O app, instalado no celular, envia os dados para o servidor em nuvem. Internamente, um sistema de algoritmos trata os dados para os profissionais de saúde. Os profissionais utilizam os dados coletados, as informações de saúde fornecidas pelo usuário e os protocolos clínicos para traçar os parâmetros de alerta individualmente. No sistema listamos até 10 contatos próximos ao usuário, no caso de solicitação de ajuda, enquanto um profissional mantém o cliente tranquilo e falando, outro vai exaurindo a lista de contato até que a ajuda chegue.

Victor Hugo Cavalcante: Como surgiu esta ideia do Watchin? Vocês têm alguma outra ideia que possa complementar no trabalho de verificação da saúde com o Watchin? Qual?

A ideia surgiu durante o programa de aceleração Itaú Mulher Empreendedora, na FGV, no ano passado. Inspirada por uma situação pessoal, pouco tempo antes, minha mãe tinha tido uma hipoglicemia e permaneceu desacordada por quase 8 horas sozinha em casa. Ao entender o funcionamento dos wearables, percebi que eles poderiam ser utilizados como ferramentas importantes para profissionais de saúde e cuidadores, como eu.

Depois de tantos anos, trabalhando com Home Care, junto com o Watchin desenvolvemos também uma plataforma de saúde para levar o atendimento de saúde até a casa das pessoas. A Sol GoHome também é mais uma forma de fazer saúde com ousadia, sem abrir mão da eficiência e qualidade. Pela plataforma, as pessoas poderão solicitar, agendar e receber atendimento em casa. Tudo de maneira simples, fácil e intuitiva, com a segurança e validação dos profissionais, além do acesso ao seu histórico de saúde.