Ouvi Por Aí muita música e informação no Youtube

Créditos:

Victor Hugo Cavalcante: Primeiramente muito obrigado por nos conceder esta entrevista e gostaria de começar perguntando: O nome do canal é Ouvi por aí, e conforme você nos relatou em off antes era um blog, como foi que surgiu esta ideia de fazer a transição entre blog e canal?
Ouvi Por Aí:
Antes de tudo, gostaria de agradecer muito a oportunidade de conceder esta entrevista para o site Folk! Fiquei muito feliz em conhecer você, seu trabalho e ter a perspectiva de futuras parcerias. Decidi começar com o canal como forma de diversificar meu conteúdo para conseguir transmiti-lo de uma forma mais dinâmica, mas ainda amo escrever para o blog!

Você acredita que com o canal será mais fácil atingir o público que curte falar sobre música? Por quê?

Acho que muita gente que gosta de música está no Youtube, mas ao mesmo tempo quem se interessa nesse assunto muitas vezes também gosta de ler textos. Existem três públicos: o que gosta de ler, o que gosta de ver vídeos e o que gosta de podcasts.

Tento abranger todos eles! Acho que geralmente as pessoas que gostam de música têm um carinho por textos também por ser uma forma de transmissão de sentimentos. Produzir conteúdo em todos esses formatos me traz uma satisfação gigantesca, realmente amo fazer o que faço com o Ouvi Por Aí - Seja em texto ou vídeo. Não acho mais fácil, mas definitivamente é igualmente prazeroso de trabalhar com essa plataforma.

Como é a rotina de gravação do seu canal desde a criação do roteiro até o upload do vídeo em seu canal?

Eu tenho um caderno que eu chamo de Caderno da criatividade que fica na minha bolsa e me acompanha em qualquer lugar que eu vá! Tudo começa por causa dele, onde eu anoto inspirações para textos, músicas que componho e temas para vídeos do canal. No final de semana eu escrevo os roteiros que se baseiam no que escrevi de ideias nesse caderninho. Na realidade, tenho vários roteiros prontos, mas e o tempo para gravar? Fazer faculdade, estágio, ter uma banda consome muito tempo e por isso a gravação em si é o mais difícil de acontecer e uma das metas desse ano é realmente me organizar melhor e reservar um horariozinho sagrado na semana para gravações.

Até a minha última gravação, a montagem do cenário demorava mais do que os takes, mas agora consegui investir em uma iluminação melhor e vai me tomar menos tempo, pois não vou precisar fazer a famosa gambiarra! A melhor luz é a do sol, mas eu sempre gravava de noite por falta de tempo durante o dia, então haja abajur para tentar fazer uma iluminação aceitável. Até setembro eu editava sozinha, mas a partir daí conto com uma ajuda do Vitor, da VA Mídia, com relação a essa parte. Eu estava muito sobrecarregada com tanta coisa de faculdade, final de semestre, estágio e tudo mais que aprendi que o mais sábio seria delegar esta função. Acabou que foi a melhor coisa que fiz, pois além de um parceiro eu conheci uma pessoa incrível e que sempre agrega para o canal. Acho que já respondi a próxima pergunta. (risos)

É você que edita seu canal? Quem edita e como rolou esse convite para participar da edição?

Conforme dito na pergunta anterior, até setembro eu editava e fazia tudo no meu canal. A partir daí, decidi delegar a função de edição para conseguir conciliar com todas as minhas outras obrigações. É importante a gente reconhecer que não pode fazer tudo, não dá pra abraçar o mundo e se sobrecarregar de tal forma a comprometer a própria saúde, sabe? Isso foi um dos aprendizados que tive em 2017.

O convite para a parceria com a VA Mídia aconteceu porque estava em busca de ajuda e decidi perguntar para um amigo muito querido, que está fazendo faculdade de cinema e na época estava produzindo um filme, se ele poderia me indicar alguém do ramo que estivesse começando. Esse amigo indicou o Vítor, sem pensar duas vezes, uma vez que eram colegas de sala e sabia que estava me indicando alguém competente.

O que você costuma ouvir por aí? Qual é o gênero musical predominante na sua cidade? Você curte ele? Por quê?

Eu entrei para o mundo da música pelo Rock e por música erudita. Mas foi uma questão de pouco tempo para me interessar por pop, jazz e praticamente todos os gêneros musicais. Afinal, há beleza e cultura em todos no meu ponto de vista, independente de nosso gosto pessoal acho que devemos acima de tudo respeitar e aceitar que nem toda arte foi feita para agradar todos os públicos.

Para você qual é a importância de se divulgar boa música (principalmente independentes) nas mídias alternativas?

Acredito que a internet é uma ferramenta maravilhosa para músicos, muita gente incrível surgiu daqui e está se dando muito bem. A importância disso é construir um público, atingir cada vez mais pessoas considerando a migração significativa da TV para internet, inspirar e incentivar novos artistas a fazerem o mesmo. Eu tento fazer a minha parte quanto a valorização de artistas autorais/independentes no OPA, mas eu sei que a cena Underground tem sido maravilhosa para o Rock. A propósito, vamos usar o Rock como exemplo! Atualmente o que mais se vende no mercado fonográfico é o pop, o rock voltou pro Underground e por não ter tantas gravadoras interessadas nesse gênero como antes, o Rock nacional está ficando cada vez mais rico uma vez que os artistas têm mais liberdade para fazer o que querem com seu trabalho. Ou seja, se você está reclamando que "o rock morreu" é porque você precisa procurar melhor e frequentar mais as casas de músicas autorais da sua cidade. Tem muita gente incrível por aí que você pode amar e está perdendo a oportunidade de conhecer!

Preciso dizer também que o termo "boa música" me incomoda um pouco, mas esse assunto rende...

Qual foi o melhor vídeo que você gravou e qual foi o tema mais difícil, por quê?

Não sei dizer qual é o meu melhor vídeo, pois eu sou muito crítica e em todos eu acho que tem algo para melhorar. O vídeo que achei mais difícil de gravar foi o último, que decidi não participar de um determinado desafio por uma questão de princípios. O desafio proposto era refazer alguma foto própria e como o meu canal é sobre música, iria refazer uma foto de um show. A única que havia encontrado era uma do Linkin Park e não consegui prosseguir com a tarefa devido ao fato que aconteceu ano passado. Decidi fazer o vídeo para conscientizar as pessoas que me acompanham a se preocuparem mais com a questão de saúde mental. Foi difícil gravar esse vídeo por abdicar de uma oportunidade que queria muito e pelo tema delicado em si. Não ia conseguir associar esse vídeo à marca que estava promovendo este desafio, pois não queria que ele fosse comercial.

Você costuma rever seus vídeos/textos antigos? O que você pensa ao vê-los?
Não costumo rever os meus vídeos, mas adoro reler meus textos! Ah, não sei dizer o que eu penso ao reler meus textos, os pensamentos voam!

Para você qual é a maior dificuldade ao falar de música na internet e principalmente na plataforma de vídeos do Youtube? Por quê?

É um nicho que não está tão em evidência atualmente, não está entre os tipos de canais mais pesquisados. Mas acho que se você faz o seu trabalho bem feito e com amor, você vai encontrando o seu público mesmo sendo uma construção mais devagar.

Se pudesse gravar sobre músicas com outros youtuber quem seria sua preferência? Por quê? Já fez algum vídeo reagindo aos clipes das músicas? Pretende algum dia realizar?

Eu gostaria de gravar pessoalmente com o pessoal do Música Pra Viagem, grupo o qual também faço parte. MPV é um projeto que reúne cinco youtubers de música, comigo incluída, aonde gerenciamos um blog e um podcast. Apesar de todos falarem sobre o mesmo assunto, abordamos o tema música de forma diferente e por isso é algo muito rico e gratificante em fazer parte. Mas cada um mora em um canto do país, por isso o sonho em gravarmos juntos pessoalmente!

Quanto a vídeo de reação eu nunca fiz. Acho que por não consumir muito esse tipo de conteúdo ainda não está nos meus planos fazer.

Falando em reagindo á videoclipes, hoje é cada vez mais comum a tag Reagindo, você costuma driblar o modismo e consegue trazer conteúdos inéditos ou ás vezes rola uma xerocada nos assuntos? Por quê?

Tudo que faço é fruto de dedicação e o conteúdo que produzo é genuíno. Tento realmente não fazer o que está na moda e me apegar à minha essência e autenticidade, mas não julgo quem segue a moda de forma alguma! Inclusive acho que pode ser algo inteligente quanto ao marketing e a otimização de SEO caso você saiba usá-lo corretamente. Realmente as chances de te gerar mais acessos são altas.

Tema repetido é bem diferente de cópia.

Podem existir mil vídeos de um único jogo de game play, mas o conteúdo em si de cada vídeo ser totalmente diferente uns dos outros, por exemplo. Podem existir mil tutoriais de maquiagem de unicórnio para o carnaval, mas desde que não haja cópia tá tudo bem. Cópia é quando você se apropria da opinião ou da propriedade intelectual do outro como se fosse sua sem dar os devidos créditos.

Definitivamente não curto cópias, acho desrespeitoso.

Mas, com relação aos temas comuns, ressalto as tags pois acho super válido. Principalmente essas de perguntas, que cada pessoa responde a sua maneira, garantindo certa autenticidade mesmo com as perguntas padrões. Inclusive é um artifício para conhecer novas pessoas que produzem conteúdo digital, uma vez que faz parte das características de tags indicar mais pessoas para responder às perguntas. Vai criando um laço, o público de um vai se interessando pelo conteúdo do outro e eu curto isso.

Ainda falando em temas repetidos nos canais, você acredita que essa forma de se mostrar acaba estragando o Youtube o levando ao ostracismo ou não, por quê?

Não acho, inclusive acredito que se eu concordasse com isso estaria desrespeitando o trabalho de muita gente e sendo até um pouco prepotente. Cada um produz o conteúdo que quer e consome o que quer, inclusive acho que aí se encontra a beleza.

Temos que aprender a respeitar o próximo e entender que ninguém é melhor que ninguém.

Se alguém não quiser ver algum conteúdo específico por achar que "estraga" o Youtube basta não assisti-lo e procurar por aquilo que desperte o interesse de fato. É bem simples, os algoritmos do Youtube vão entender e não vão te recomendar mais o tipo de vídeo que você não gosta.

Lembrando que tema repetido e modismo são bem diferentes de cópia, conforme comentei no item anterior. E quando se trata de cópia, aí sim, é condenável.

Se pudesse gravar ao lado de alguma banda ou cantor favorito qual ou quais artistas seriam?

Hayley Williams, Pierre Bouvier, Brendon Urie, Arctic Monkeys, Linkin Park, The Royal Concepts, Queen, Maroon 5, Slash (não é cantor nem banda mas tá valendo), Foals, José Gonzales, Elis Regina, Maria Rita, Marisa Monte, Luiz Gonzaga, Led Zeppelin, Ed Sheeran, Alicia Keys, David Bowie, Anitta, Ludmilla, Joan Jett, Nina Simone, Frank Sinatra, Johnny Cash, Bob Dylan, Alessia Cara, Supercombo, P!nk, Foo Fighters, Cat Stevevens, Aerosmith, The Who...

Vou parar por aqui se não ficarei até amanhã nessa pergunta! (Risos)