Entrefolk com João Pedro Delfino

Créditos: João Pedro Delfino (Instagram)

Com apenas 13 anos de idade, o ator mirim João Pedro foi destaque na montagem brasileira do musical A Escola do Rock, onde interpretava o baterista Freddy, e além de atuar, cantar e dançar, tocava o instrumento ao vivo durante o espetáculo.

O ator mirim também integra o elenco da novela do SBT, As Aventuras de Poliana Moça, na qual interpreta o personagem Pinóquio.

Victor Hugo Cavalcante: Primeiro é um prazer poder recebê-lo em nosso site, e gostaria de começar perguntando: Como começou sua relação com as artes cênicas?

João Pedro Delfino:  Meu amor pelas artes cênicas vem de muito cedo. Quando eu tinha uns três anos já amava participar dos teatrinhos da escola e gostava de brincar de teatro em casa também.

Eu até escrevia minhas próprias peças. Até que meus pais me inscreveram em uma escola de teatro e fiz vários cursos de interpretação.

Victor Hugo Cavalcante: Quais foram os trabalhos mais incríveis e os mais complicados que você já interpretou? Por quê?

Todos são incríveis: Escola do Rock, Charlie e a Fantástica Fábrica de Chocolate e a novela As Aventuras de Poliana Moça! Todos são desafiadores, pois na Escola do Rock eu tocava bateria ao vivo além de cantar, dançar e atuar.

No Charlie, tenho muitas falas, música solo e quase não saio do palco. E nas Aventuras de Poliana Moça eu interpreto o Pinóquio, que é um boneco e tem uma preparação muito especial.

Victor Hugo Cavalcante: Como você consegue driblar a ansiedade antes de entrar nos palcos?

Eu sempre faço uma oração e faço um bom aquecimento corporal e vocal, ficando mais seguro para entrar em cena.

Victor Hugo Cavalcante: Você será responsável por dar vida ao papel título da montagem brasileira do espetáculo da Broadway Charlie e a Fantástica Fábrica de Chocolate. Como está sendo a rotina de ensaios (mesmo em quarentena)?

Ensaiamos por dois meses e meio e agora, na quarentena, não estamos tendo ensaios, porém continuo estudando as cenas, as músicas e as coreografias, em casa.

Victor Hugo Cavalcante: A montagem brasileira de Charlie e a Fantástica Fábrica de Chocolate tem direção de John Stefaniuk, o mesmo diretor da montagem brasileira de Billy Elliot e diretor associado de diversas produções pelo mundo, como o musical da Disney The Lion King. Como surgiu a oportunidade de se apresentar neste espetáculo?

Quando fiquei sabendo que iria ter esse musical no Brasil, fiquei muito animado e devorei o personagem para me preparar para as audições. Foram várias fases e muitos bons candidatos. Fiquei muito feliz e grato por ter sido escolhido pelo John, que é um diretor incrível!

Victor Hugo Cavalcante: Você também integra o elenco da novela do SBT, As Aventuras de Poliana Moça, na qual interpreta o personagem Pinóquio. Qual tem sido o feedback do público para este trabalho?

Logo quando foi divulgado o elenco da próxima fase da novela, muitas pessoas vieram me parabenizar e o público está muito interessado e curioso em conhecer o Pinóquio, por ele ser o boneco de uma história que todos conhecem.

Victor Hugo Cavalcante: Com apenas 13 anos de idade, você foi destaque na montagem brasileira do musical A Escola do Rock, onde interpretava o baterista Freddy, e que além de atuar, cantar e dançar também tocava o instrumento ao vivo durante o espetáculo. Como foi para você participar desta peça? 

Foi incrível! Escola do Rock foi um filme que marcou muito minha vida e viver Freddy no musical foi uma experiência maravilhosa, pois foi meu primeiro grande trabalho!

Victor Hugo Cavalcante: Ainda sobre a montagem brasileira do musical A Escola do Rock, como foi a rotina de ensaios de atuação, canto e instrumentos?

Ensaiamos por dois meses e meio, seis horas por dia até a estreia. Depois continuamos fazendo alguns ensaios de manutenção, principalmente os integrantes da banda.

Victor Hugo Cavalcante: Para você quais as principais diferenças entre atuar numa novela e numa peça teatral?

Muitas diferenças! Atuar no palco é muito gostoso, pois você já tem o retorno imediato da plateia. Tem muito tempo de ensaio até a estreia. Já na frente das câmeras, o gostoso é gravar várias cenas diferentes todos os dias.

Victor Hugo Cavalcante: Quais as principais dicas que você dá para quem deseja algum dia se tornar ator/atriz?

Nunca desistir e estudar muito!!! Fazer muitos cursos de interpretação, dança, canto e instrumentos.

Victor Hugo Cavalcante: Em As Aventuras de Poliana Moça você dá vida ao personagem Pinóquio! Enfim, quanto de roteiro tem na personagem e o quanto de João Pedro tem em Pinóquio?

Assim como o Pinóquio, eu sou alegre, divertido, sonhador e brincalhão com as pessoas.

Victor Hugo Cavalcante: Quais artistas mais te influenciam e no que eles te influenciam?

No teatro musical, os artistas que mais me influenciam são Tiago Barbosa, Baccic e Arthur Berges, pois todos interpretam e cantam muito, e tem muita energia e presença no palco. Na televisão, tenho vários atores que me influenciam, que transmitem verdade em cena, como meus amigos de Poliana.

Victor Hugo Cavalcante: Se fosse possível contracenar com algum ator/atriz brasileiro quais seriam suas preferências e por quê?

Como fã da novela As Aventuras de Poliana, meu sonho era contracenar com os atores que fazem a novela e hoje estou realizando esse sonho.

Victor Hugo Cavalcante: Ainda sobre a quarentena, o que você faz em seus tempos vagos?

Eu gosto de brincar com meu irmão, assistir filmes, gravar vídeos, conversar com meus amigos e aprender coisas novas!