Entrefolk com Rica Sensei

Créditos: Cedido pelo entrevistado

Com uma história em quadrinhos sendo atualizada no Webtooon, alguns contos escritos no Wattpad e muitos desenhos no Instagram e no Deviantart a goianiense Rica Sensei fala um pouco sobre suas inspirações influencias e muito mais.

Victor Hugo Cavalcante: Primeiro agradecemos por nos conceder esta entrevista e gostaria de começar perguntando: Como surgiu sua paixão em desenhar e escrever?

Érica Rodrigues: Creio que ambas nasceram do fascínio por criar. Desde pequena, situações corriqueiras sempre foi um convite para minha mente criar alguma continuação fantasiosa.

Sempre gostei de deixar a mente divagar e, com o tempo, isso acabou se traduzindo melhor em desenhos e, mais tarde, também em palavras.

Victor Hugo Cavalcante: No Webtoon você está criando a história em quadrinhos intitulada The Expansion (A Expansão traduzida em português) conte-nos como surgiu a ideia de fazer esta história e o que podemos esperar dele?

A história original é uma sequência de 13 páginas em quadrinhos escrita para uma matéria optativa durante a universidade. Inicialmente, a ideia era fazer uma brincadeira com os personagens que eu e algumas amigas criamos quando jogávamos um MMORPG chamado Grand Fantasia.

Alguns anos depois, quando comecei a aprender arte digital, pensei em tornar The Expansion em algo oficial e criar um enredo mais elaborado.

Com o tempo, ela cresceu, e de uma fantasia dark cheia de magia e lutas, acabou virando também uma história sobre amizade, autoconhecimento e a importância de aprender a confiar nas pessoas.

Victor Hugo Cavalcante: Ainda sobre a história em quadrinhos de sua autoria no Webtoon, pretende algum dia publica-la fora da internet ou publicar alguma outra história em quadrinhos? Por quê?

Sobre The Expansion, acho complicado por não ter sido planejada para impressão desde o início. Quanto a outras histórias, planejo publicar várias!

Victor Hugo Cavalcante: Você também escreve pelo Wattpad, conte-nos um pouco de suas publicações na plataforma.

Tenho poucas publicações no Wattpad, apesar de ter algumas histórias prontas que não divulguei ainda. Um dos motivos é que gosto de desenhar as capas das histórias, além de que preciso sentir que estão minimamente boas para publicar.

Atualmente, tenho duas publicadas (uma traduzida para português): The Red Mantle (O Manto Vermelho) e The Girl in the Water Bubble (A Garota na Bolha d'Água).

Ambas vieram da ideia de treinar escrever contos menores com o intuito de aprender a finalizar histórias. Sempre tive e ainda tenho dificuldade nesse quesito.

A primeira é um reconto mais sombrio de Chapeuzinho Vermelho, enquanto a segunda é original, e conta a história de uma garota que lida com bullying e exclusão social por parte de uma sociedade viciada na cultura de acusações gratuitas.

Victor Hugo Cavalcante: Quais são suas principais inspirações seja para escrever uma história no Wattpad, desenhendo e escrevendo mais uma parte da história em quadrinhos no Webtoon ou desenhando?

Creio que elas vêm de todos os lugares e, ao mesmo tempo, de lugar nenhum. Às vezes pode ser uma música, um livro ou filme. Em outras, pode ser que nada esteja acontecendo e esse momento de silêncio seja tudo que preciso para ter uma boa ideia.

Victor Hugo Cavalcante: Para você é mais fácil criar o roteiro (história) do que será contado nos quadrinhos ou desenha-los? Por quê?

Não acho que colocaria como a mais fácil, mas a mais rápida: criar o roteiro. Isso também demanda bastante tempo, ainda mais quando se está aprendendo (que é o meu caso), mas é mais fácil de editar caso haja erros e, em um primeiro momento, não é estritamente necessário que haja regras.

Já para desenhar, é necessário inserir tudo o que foi escrito em uma série de cenas e elas precisam ter um ritmo fluido e fazer sentido quando lidas em sequência. Essa parte, em minha opinião, demanda muito mais para fazer acontecer.

Victor Hugo Cavalcante: Quais suas principais dicas para quem deseja ser um bom desenhista algum dia?

Não desistir de sonhar. Eu creio que essa parte vai ser sempre mais difícil, pois quando se trata de algo que amamos, queremos automaticamente que aqueles ao redor amem isso também.

Mas neste, como em tantos ramos, leva anos até que se ganhe algum reconhecimento. Acho que a grande questão é até que ponto se deve deixar isso ditar o quanto o seu sonho vale à pena.

Victor Hugo Cavalcante: Quais desenhistas que você se influencia e por que e no que eles te influenciam?

Atualmente tenho uma lista extensa. Alguns deles são: Natsuki Takaya, Matsuri Hino, Shilin, Ross Tran, Sakimi-chan, Uru-chan, Quimchee, Guweiz, Wlop e Kurt Michael Russel.

Todos são excelentes em suas áreas e dominam bem técnicas que anseio conseguir dominar algum dia, como bom uso de cores, contraste, movimento, composição, etc. Mas fora isso, todos são apaixonados pelo que fazem e conseguem a façanha de inspirar sentimentos através de suas obras.