Folkeando com Mundo das Franquias

Créditos: Rafael Gmeiner (Facebook)

O setor de franquias é repleto de opções quando falamos em modelos de negócios, valores de investimento, lucratividade, prazo de retorno, etc.

E como ser diferente em meio a tantas opções de mercado? O jornalista Rafael Gmeiner criador do site Mundo das Franquias responde a esta pergunta e também conta sobre a história do site nesta entrevista.

Victor Hugo Cavalcante: Primeiro gostaria de agradecer por nos conceder esta entrevista e gostaria de começar perguntando: Como surgiu o site Mundo das Franquias?

Mundo das Franquias (Rafael Gmeiner): O site já era um projeto desenhado há dois anos, em 2018. Eu queria um veículo de informação sobre o setor, mas que não apenas fosse um site de notícias, mas também um novo modelo de negócio.

Como eu atuo no setor de franquias há seis anos, segui analisando o próprio mercado pensando em lago que fosse realmente diferente. Desta forma, eu desenvolvi o projeto do site com opções de rentabilidade para nossos parceiros comerciais.

Hoje, por ser um site novo (foi lançado em novembro de 2019), nosso custo mensal é de R$ 4 mil. Comercializo este valor por cotas que vão de R$ 500 a R$ 4 mil, e quem adquiri estas cotas será nosso apoiador máster e terá uma página exclusiva na seção Canal Direto.

Nesta página o apoiador máster poderá, dentro de nosso padrão editorial, dar palpites nas publicações sobre a sua marca. Ou seja, podemos ter desde um único apoiador máster, como podemos ter oito. Porém, não mais do que isso.

A ideia não é rentabilizar apenas o site, mas também nossos parceiros. Dependendo da quantidade de cotas adquiridas, nosso cliente terá benefícios, além da página exclusiva, como anúncios e publieditoriais.

Quando atingirmos lucro de R$10 mil, os apoiadores masteres serão bonificados com 15% do valor que investiram, mas seguem investindo no site. Quando chegarmos ao lucro de R$15 mil, os apoiadores masteres passam a rentabilizar 5% do lucro do site, mas aí já não investem mais nenhum centavo no Mundo das Franquias, vão apenas lucrar com a gente.

Isso possibilitará mais interesse das marcas em investirem em um veículo sobre o setor dando mais estabilidade para seguirmos fazendo um trabalho sério e positivo para o setor.

Eu era editor de um site de franquias, mas depois de algumas questões administrativas resolvi sair e coloquei o Mundo das Franquias para rodar aproveitando minha experiência de 18 anos com jornalismo e comunicação, bem como meus seis anos de expertise no setor de franquias.

Victor Hugo Cavalcante: Como bem observado em seu site na seção Quem Somos, uma das perguntas principais no mundo das franquias é que o setor de franquias é repleto de opções quando falamos em modelos de negócios, valores de investimento, lucratividade, prazo de retorno, etc. Mas, afinal para você enquanto jornalista como uma franquia pode se diferenciar em meio a tantas opções de mercado e ainda fazer uma boa divulgação?

Sobre se diferenciar no mercado, a meu ver, antes de qualquer coisa, é preciso que as redes de franquias sigam tudo o que a ABF orienta. Isso não é diferencial, é a base.

Mas pelo que noto do mercado como um todo, o atendimento aos investidores e franqueados é o que faz a diferença. Conheci diversos empreendedores que no final das contas migraram para as redes, que obviamente estavam bem estruturadas, mas que tinham melhor atendimento.

Victor Hugo Cavalcante: O Mundo das Franquias é um site de notícia sobre o segmento de franquias que, mais do que inserir conteúdo, irá produzir matérias positivas para as empresas que geram retorno e satisfação para seus parceiros mostrando que de fato são excelentes investimentos. Para você enquanto jornalista qual é a importância de falar e ler sobre estas informações jornalísticas?

O que todas as empresas precisam entender é que há uma grande diferença entre publicidade, marketing e notícia jornalística.

Não digo aqui que um vale mais do que o outro, até porque acredito que é uma roda e para que ela funcione estas engrenagens da comunicação precisam funcionar e juntas. Mas elas servem para objetivos distintos.

Na publicidade e no Marketing é muito mais a empresa falando dela. Na informação jornalística, em tese, é uma terceira pessoa falando da marca. Recebo diversos materiais sobre várias redes e é fato que as marcas das quais já fui cliente, conhecendo o produto ou serviço, acabam recebendo feedbacks mais verdadeiros.

Tanto que já teve uma rede que eu não quis falar pela péssima qualidade do serviço e de produto oferecido. Como em outros casos que eu recebi o material e falei com propriedade sobre o que oferecem. Somos um termómetro de qualidade.

Victor Hugo Cavalcante: Para você qual é a maior dificuldade quando se fala em divulgações de notícias sobre o mundo das franquais?

Victor, assim como em qualquer mercado temos boas e más empresas. Temos aquelas que se estruturam de maneira correta e aquelas que fazem de qualquer jeito só para ganhar dinheiro. Vejo isso como o grande desafio.

Eu não posso simplesmente excluir uma rede por não conhecer o trabalho dela, mas também, em muitos casos, fica difícil atestar se as informações são verdadeiras. Aí entra um bom trabalho de pesquisa, buscando clientes, franqueados para que tenhamos mais base informativa. Afinal, esta é a nossa função enquanto jornalistas.

Victor Hugo Cavalcante: Você é assessor de imprensa, como é o mercado da área de comunicação voltado ao jornalismo e assessoria de imprensa para este segmento?

Sim, também sou assessor de imprensa e também tenho clientes no segmento de franquias. Bom, temos diversos veículos e ótimos canais de comunicação para o setor, o que nos favorece muito. E a maior parte dos grandes veículos também falam sobre franquias, isso é um plus excelente.

O que é desafiador para mim é atuar dos dois lados do balcão. Antigamente isso não era aceitável, mas hoje já é. Porém, você precisa ser honesto com seus clientes e até com você mesmo.

Por exemplo, no Mundo das Franquias eu publico notícias dos meus clientes porque sei que é positivo para eles, mas eu não contabilizo isso em relatório da assessoria de imprensa. Separo bem uma coisa da outra.

Victor Hugo Cavalcante: Para você enquanto jornalista da área comercial o que não pode faltar numa franquia de sucesso?

Então, acho que aqui é bom fazer uma separação, pois não temos jornalistas da área comercial, mas temos profissionais jornalistas que se envolvem com a área comercial de seus negócios por que precisam vender seus serviços.

E, para mim, uma franquia de sucesso, mais do que o básico para se estruturar como uma rede, ela precisa pensar no negócio como algo positivo para seus consumidores, e não apenas como dinheiro.

Quando o empresário pensa desta forma, o lucro é consequência. Quando ele pensa assim, vai automaticamente estruturar seu negócio com toda cautela, com todos os pré-requisitos para ter sucesso.

Victor Hugo Cavalcante: Quais os principais fontes jornalísticas sobre franquias e comércios que você acompanha?

Em tese, eu acompanho todos os veículos, mas sempre com bastante olhar para os veículos segmentados como o Sua Franquia, o Guia Franquias de Sucesso e o Portal do Franchising (que é da ABF), bem como o Valor Econômico, Exame, Estadão, DCI, o PEGN (tanto TV, como site e revista).

Victor Hugo Cavalcante: Como foi o ano de 2019 para o Mundo das Franquias e o que podemos esperar para 2020?

Iniciamos o site nos dois últimos meses do ano, mas eu já avalio a experiência bem positiva. Lançamos o site às 22h30 de 28 de novembro de 2019 e até às 22h30 do mesmo dia eu já havia recebido mensagens de empresários e empreendedores que queriam saber sobre ofertas comerciais.

Como estávamos no dia do lançamento eu segurei um pouco, pois como disse, não quero apenas clientes anunciantes para eu ganhar dinheiro, quero parceiros comerciais que vão ver vantagem em estar conosco. Mas agora é só uma questão de tempo.