Folkeando com Srª Descasco Abacaxi (Carol Tavares)

Créditos: Srª Descasco Abacaxi

Se você acompanha o Folk há um tempo já deve ter lido sobre a Srª Descasco Abacaxi, se não a conhece deveria conhecer, então que tal conhecer um pouco mais sobre a jornalista, blogueira e escritora Carol Tavares, mais conhecida como a Senhora Descasco Abacaxi?

Victor Hugo Cavalcante: Primeiro é uma honra ter você novamente entre nossos entrevistados e gostariámos de perguntar: Para quem não conhece nem a jornalista Carol Tavares e nem o Descasco Abacaxi conte-nos um pouco sobre você e sobre o site

Srª Descasco Abacaxi/Carol Tavares: Eu que fico extremamente feliz em participar outra vez. Gosto muito do seu trabalho e da maneira como abre espaço para muita coisa boa.

Eu me formei em 2007 e entrei para MTV, onde comecei uma relação muito íntima com o mundo da música e onde pude descobrir uma paixão pelo segmento. Lá mesmo, conheci o trabalho do Cícero pelo amigo querido Daniel Corrêa (Build Up Media).

Começamos a trabalhar juntos na promoção do disco Cancões de Apartamento e cresceu ali uma veia empreendedora para o lado das artes. Passei pela Bandeirantes, mas acabei virando freelancer enquanto tocava minha produtora, a Jazz House, em paralelo.

Foi tudo bastante desafiador e decidi fazer uma pausa nos trabalhos, entrando para a agência Weber Shandwick, onde atendi à plataforma de música Napster e fiz alguns trabalhos específicos para eventos como Emmy pela TNT, entre outros.

Foi quando juntei o quarteto fantástico: Angela Miguel, Carlos Nascimento e Nerusa Palheta e retomamos com força os trabalhos da Jazz.

Foram dias incríveis! Uma coisa levou a outra e acabei escrevendo o livro Lições Empresariais de Game Of Thrones, pela editora Ática. A esta altura, eu já estava casada com o músico e psicólogo social Lucas Adon, com quem me mudei há um ano para Barcelona e estamos prontos para ter nossa filha, a Madalena.

O Descasco Abacaxi surgiu nesse caminho, quando a questão financeira apertou e percebi que, além da música, eu poderia oferecer serviços aleatórios, desde consertar um tablet até fazer uma consultoria de viagem. Mais do que um blog, ele se tornou também um "me diz o que precisa e eu te digo o que fazer".

Victor Hugo Cavalcante: O quanto ser jornalista te influenciou e ainda te influencia no Descasco Abacaxi? 

Escrever é minha vida, é o que sei fazer de melhor. Ter um lugar com total liberdade de expressão para colocar conteúdos diversificados é essencial para minha existência.

Sou jornalista desde antes de sê-lo, com 10 anos, eu escrevia poesias para o caderno infantil do jornal Diário do Grande ABC. É algo internalizado, que não posso viver sem. Hoje, a "senhora Descasco Abacaxi" atua também como repórter da revista Gestão e Negócios e vai participar de um novo livro, um guia sobre o rock-pop alternativo feito no Brasil na década de 2000.

O formato será composto por uma resenha feita por jornalistas ou por outros artistas que tenham algum tipo de envolvimento com o álbum.

A princípio, será lançado em e-book sem fins lucrativos, como uma forma de homenagear artistas e os fãs. Logo teremos mais detalhes.

Victor Hugo Cavalcante: Em 2017 você escreveu o seu livro Lições Empresariais Game Of Thrones, pela editora Escala, e na tua entrevista para o Folk sobre ele, você nos disse que havia escrito uma ficção mega adolescente chamada Suicídio, mas que não tinha lançado ainda, o que virou este projeto? Você pretende lançar algum outro livro algum dia? 

É muito doido como eu ainda não consegui ter coragem para dar à luz este livro.  Ele está quase todo diagramado, tem uma capa linda, mas me falta coragem. Foi escrito em uma época de muitos conflitos e onde eu não enxergava as coisas como vejo hoje. Chega a ser dolorido relê-lo. Eu quero muito lançá-lo em algum momento, mas estou trabalhando isso na terapia (risos).

Victor Hugo Cavalcante: Para você qual foi o abacaxi mais complicado de se falar no site? E qual foi o mais incrível e por quê? 

Os textos estão paradinhos por conta de um ano turbulento entre documentação no novo país, mudanças de casa e gravidez, mas vai voltar com intensidade no próximo mês. As entrevistas sempre foram a parte mais legal de fazer, porque me permitem adentrar os corações de pessoas que admiro muito.

Falar o nome do Bolsonaro é sempre a parte mais difícil, porque ele tem fãs irredutíveis e o diálogo é sempre cansativo. Lembro que, na época das eleições, fiquei tão nervosa com as discussões que baixou minha imunidade e me atacou um vírus nas terminações nervosas chamado zóster. É o corpo pedindo arrego.

Victor Hugo Cavalcante: No Descasco Abacaxi você fala sobre política, música e diversos outros assuntos, mas afinal independente dos temas das postagens o que nunca pode faltar nas postagens feita pela Srª Descasco Abacaxi? 

Sensibilidade. Não importa o tema, eu sempre procuro dar o máximo de informação checada, mas num formato não endurecido como nos jornais comuns.

Em uma época de muita informação sem filtro e pressa de passar para a próxima página, falta tempo para aprofundar-se e sensibilizar-se com qualquer que seja o tema.

Meu ascendente em Peixes não me permite deixar a emoção de fora (risos).

Victor Hugo Cavalcante: O que os leitores do site podem esperar para 2020? 

Mais música, mais política, um pouco de Velho Continente e um tanto de maternidade. A mulher no mundo é um corpo político e a gestação tem me feito enxergar uma série de coisas que eu nem fazia ideia.

Já escrevi muitos "textos mentais" que preciso por no papel, compartilhar com tantas mamães que percebo que ficam à beira da comunidade, isoladas em seus sentimentos.

Também quero reforçar assuntos e trazer à tona projetos relacionados ao empoderamento feminino. Tudo feito com muito carinho.