Folkeando com Hellen de Castro: Sobre Fé e Sucesso no Teatro Musical

Créditos: Adriano Doria

Victor Hugo Cavalcante: primeiramente agradecemos por nos conceder esta entrevista e gostaria de começar perguntando: Como surgiu sua relação com o teatro musical?

Hellen de Castro: Eu que agradeço Victor!

Desde muito pequena eu gostava de cantar e dançar. Minha família sempre foi muito envolvida na arte e percebeu minha vocação.

Aos 08 anos passei na prova e ingressei na ULM (Universidade Livre de Música). Foi uma escola excelente, tive a iniciação musical.

Aos 10 anos, enfrentei outro teste difícil, agora na Escola Municipal de Bailado. Eram muitas candidatas. Passei. Que alegria! Estudei 08 anos.

Formei-me lá. Formação completa para bailarina.

Assisti o musical Moulin Rouge, no qual dei conta que em musical você precisa saber vários estilos de dança. Sempre gostei de vários estilos de dança, fiz aula de Jazz e me apaixonei. Depois fiz aulas de dança de rua (outra paixão), sapateado.

Fui atrás do canto e teatro. Novos desafios, que adorei. Hoje sou muito feliz e cheia de gratidão por estar no meu 11º musical.

Victor Hugo Cavalcante: Atualmente você está em cartaz no espetáculo Aparecida - Um Musical por Walcyr Carrasco, em que assumiu o papel da personagem Clara, protagonista da história que tem sido sucesso de público e já emocionou mais de 50 mil pessoas. O que o pessoal que ainda não assistiu à peça pode esperar dela? Qual está sendo o feedback do público depois do espetáculo?

Uma superprodução original brasileira com uma mensagem linda e comovente. Eu adoro assistir peças e filmes baseados em fatos reais, e no musical Aparecida todos os milagres contados são verídicos.

Um musical que fala sobre a fé, amor, superação e esperança, algo que é importante ser falado nos dias de hoje.

O Feedback está sendo ótimo além de emocionante. Já recebi mensagens no Instagram falando sobre as provações que a pessoa estava passando e o quanto se identificava com a forte Clara (a personagem a qual dou vida).

Além do carinho que recebo quando saio do espetáculo. As pessoas dizendo o quanto se emocionaram assistindo o musical e quanto é preciso fé para os momentos difíceis na vida.

Victor Hugo Cavalcante: Ainda sobre o musical sobre a santa padroeira do Brasil, como está sendo para você interpretar uma história que foi inspirada em fatos reais e que traz temas sobre fé e milagres?

Não conhecia todos os milagres da Santa Aparecida e é de arrepiar. Acredito muito no poder da fé e realizar um espetáculo onde passa essa mensagem é muito gratificante.

Victor Hugo Cavalcante: No musical Aparecida - Um Musical por Walcyr Carrasco você interpreta a personagem Clara, protagonista da história, qual está sendo a maior dificuldade em interpreta-la e quais as principais diferenças e semelhanças entre você e a personagem?

Clara é uma mulher doce e extremamente forte. Esposa de Caio, ela que dá todo o apoio quando ele descobre que tem uma doença gravíssima. É uma mulher que acredita no amor e na família. Eu também acredito.

Eu e a Clara temos muitos pontos convergentes. Já tive momentos bem difíceis na vida e eu encontrei uma força que não sabia que tinha.

Agora diferenças, ela tem uma paciência invejável. (Risos) Essa personagem é um presente, aprendo muito com ela.

Victor Hugo Cavalcante: Além de atriz você é cantora e bailarina, formada em Balé Clássico pela Escola Municipal de Bailado, e especializou-se em sapateado e jazz dance em Paris, Roma e Londres. Além de que já fez aulas de canto com Amélia Gumes, Rafael Villar e Marconi Araújo, além de ministrar workshops de dança em Nova York. Conte-nos como estas formações profissionais te ajudaram a se tornar a atriz que você é hoje.

A minha formação e paixão por diversos estilos de dança me ajudaram muito a entrar no mercado.

Por exemplo: No musical Crazy for You você precisa saber Jazz e sapateado, no musical In The Heights precisa saber dança de rua e salsa e por aí vai.

Já tinha feito canto coral quando criança, mas fazer aulas particulares de canto com profissionais do meio foi fundamental para conhecer o complexo aparelho vocal e não se machucar, já que são muitas sessões por semana.

Sem falar nos cursos de teatro, pois estamos falando de TEATRO musical. Vejo que para se manter no mercado você precisa ser versátil e estar estudando sempre as 3 artes. Canto, dança e teatro.

Victor Hugo Cavalcante: Você ainda sente ansiedade antes de entrar em cena ou já o superou? Conte-os como você procura driblar o nervosismo, ou como você conseguiu "dominar os nervos", antes de entrar em cena.

Ainda sinto muita ansiedade. (Risos)

Para driblar o nervosismo eu tento estudar o máximo possível em casa e antes de entrar em cena faço sempre minha oração e depois tento focar na cena, estar presente e contar a história.

Outra coisa que me ajudou foi quando eu entendi que as pessoas que estão assistindo, estão lá para apreciar a peça, torcendo para que dê tudo certo e não ao contrário.

Victor Hugo Cavalcante: No teatro musical, você já integrou o elenco de grandes montagens de espetáculos da Broadway no Brasil, entre eles: Sunset Boulevard, Os Produtores, Wicked, Crazy For You, Only Broadway, Pernas pro Ar, Tarzan,Cabaret e Mudança de Hábito. Para você qual foi o espetáculo mais inesquecível e o mais difícil que você já integrou? Por quê?

Todos foram incríveis. O musical Mudança de Hábito foi fora do normal. Esse musical tem um poder transformador.

Mensagens atuais e necessárias, leve e cômico, além das músicas serem impactantes. Quantas vezes no final do espetáculo eu me emocionava.

No último dia então, eu soluçava. (Risos)

Já o musical Crazy for You foi minha primeira personagem em um grande musical. Foi tão inesquecível e acredito que foi a mais difícil por ser a minha primeira personagem em um grande musical, uma antagonista. Também por ser uma personagem completamente diferente de mim e pela grande responsabilidade de contracenar com grandes nomes do teatro musical como Claudia Raia, Tumura e Jarbas Homem de Mello.

Victor Hugo Cavalcante: Você foi indicada ao Prêmio Bibi Ferreira (um dos mais importantes, se não o mais importante do teatro) como melhor atriz coadjuvante, pela personagem Irene Roth, no musical Crazy For You. Como foi para você receber esta indicação? E como foi interpretar esta personagem e fazer esta peça?

FELIZ, FELIZ, FELIZ! É tão difícil nosso ofício. Tanto estudo e renúncias. Ter o reconhecimento do trabalho nos faz ter mais certeza que estamos no caminho certo. Interpretar essa personagem foi um aprendizado enorme. Tive que modificar minha voz, forma de andar, gestos, inclusive pensamentos... (Risos)

A personagem era o meu oposto. A Irene não dava valor nenhum para a arte, extremamente arrogante e mega materialista. Para nós atores fazer personagens tão distintos é um deleite.

Que saudade do número musical Naughty Baby. Que saudades do carinho e das dicas valiosas da Claudia Raia. Esse trabalho me trouxe muitas alegrias e aprendizado.

Victor Hugo Cavalcante: Além da peça Aparecida - Um Musical por Walcyr Carrasco quais as outras novidades que você já pode nos contar sobre seus futuros trabalhos?

Vem coisa boa por aí. (Risos)

Ainda não posso contar, mas agora em novembro estarei nos palcos novamente e com um desafio novo para mim. E fiquem ligados que no começo do ano darei Workshops de Teatro Musical.

Amo dar aulas e estava sentindo falta de partilhar conhecimento. Sigam meu insta que logo mais divulgo meu Workshop e meu mais novo trabalho.