Nicholas Torres: Um carrossel artístico de sucesso

Créditos: Facebook

Victor Hugo Cavalcante: Primeiramente muito obrigado por nos conceder esta entrevista e gostaria de começar com a seguinte pergunta: Você já atuou em teatros, musicais, filmes e novelas e já cantou e lançou músicas autorais, quais destas artes você mais gosta de fazer e por quê?

Nicholas Torres: Eu quem agradeço! Acho que arte é tudo, vivo por ela! Minha influência na música é muito forte, por conta dos meus pais, também músicos. Não me imagino sem ela, assim como a atuação, creio não ter uma área favorita, tudo se completa. 

Victor Hugo Cavalcante: Alguns de seus personagens como o Jaime Palillo (Patrulha Salvadora e Carrossel/SBT) e Leandro (Z4/Disney) eram apaixonados por futebol (Sendo que o personagem da série da Disney era jogador), mas o que o futebol significa para Nicholas Torres?

Cara, eu vou te falar que não sou tão ligado ao futebol! (Risos)

Sou palmeirense, torço sempre pelo meu time, mas não sou fanático nem nada. E jogando sou muito perna-de-pau! O Nicholas mesmo ama tênis, participo de torneios pela universidade e treino todos os dias. Uma verdadeira paixão

Victor Hugo Cavalcante: No primeiro semestre de 2019, você participou de uma comédia com Marcos Veras, Miá Mello, Nany People e grande elenco. Como foi fazer este longa metragem e contracenar com alguns dos maiores nomes da comédia nacional?

Foi uma experiência única e de extrema importância para mim! O filme já está gravado desde agosto do ano passado, ainda não temos previsão de estreia. Era um aprendizado diário, tanto profissional como pessoal, são pessoas queridíssimas que me fizeram evoluir demais. Está muito engraçado e estou louco para todos verem as trapalhadas que vão rolar! Vai dar o que falar!

Victor Hugo Cavalcante: Quando você atuou na novela Carrossel você procurou alguma influencia no jeito de atuar do "Jaime" mexicano? Por quê?

Sim!!! Vi alguns vídeos, no Youtube, do Carrossel mexicano para conhecer mais do meu querido Jaiminho. Mas junto aos diretores, tentamos trazer um Jaime mais atual, condizente com a adaptação para os dias de hoje, claro com muita comédia e todo carisma que ele poderia ter! (Risos)

Mas com certeza tive boas influências do Jaime mexicano.

Victor Hugo Cavalcante: Você também segue a carreira de dublador, tendo começado aos 08 anos de idade e já tendo emprestado sua voz a diversos personagens de desenhos, séries, filmes e documentários. Dentre os principais: Austin, de Backyardigans, Noddy de Noddy no país dos brinquedos, os filmes Gente Grande, de Adam Sandler, Animais unidos jamais serão vencidos, Santhuário e o personagem Don de Dinotrem. Para você o que significou dublar estes personagens e qual é a principal diferença entre atuar e dublar?

Foi sensacional, porque assistia Backyardigans quando criança, e depois emprestar a minha voz para um dos personagens que mais amava, com certeza foi muito gratificante! Dublar é incrível, uma profissão que sou apaixonado e estou voltando agora!

Atuar e dublar são bem parecidos, mas acredito que a maior diferença é ter que "linkar" a voz com a boca dos personagens, você já tem uma boca gravada e se mexendo por X segundos, e isso não tem como mudar! (Risos) Precisa ter a ligação certa para não ficar falso. Atuar é um pouco mais livre nesse sentido, você dá a sua entonação, tempo de fala!

Victor Hugo Cavalcante: Qual foi o show mais fantástico que você já fez? E dentre os shows futuros quais são os mais esperados por você?

Teve um show que me marcou bastante, em Lages, SC. Foi um show Carrossel, um evento do SBT, com Patati e Patatá e outros grandes artistas! Foi o primeiro show para mais de 47.000 pessoas, de arrepiar ao ver um mar de cabeças sem fim no horizonte... (Risos) Ali foi uma energia muito doida, boa demais.

Olha, graças a Deus tenho feitos muitos shows, espero fazer ainda mais daqui pra frente, mas com certeza chegar num nível de show em que eu faça só minhas músicas autorais, vendo a galera cantar todas elas!! Um sonho!

Victor Hugo Cavalcante: Como cantor se pudesse interpretar uma música com algum ídolo qual seria sua escolha de cantor e música? Por quê?

Vou te falar que tenho vários ídolos e pessoas que sonharia em fazer um feat. Mas te digo que ficaria mais que realizado em dividir palco com Ed Sheeran ou o grupo Pentatonix, sou fã incondicional e, para mim, são dois dos maiores artistas da nossa geração!

Victor Hugo Cavalcante: Como músico autoral quais são suas principais influências musicais e no que tais cantores te influenciam?

Tenho seguido uma linha mais pop rock, acústico! Acho uma pegada muito gostosa e me identifico demais. Ouço muito Melim, Vitão, Ed Sheeran, Shawn Mendes, Vitor Kley! Sou um cara bem eclético, gosto de ouvir diversos estilos e buscar inspirações dos mais diversos gêneros, tem muita coisa boa no mundo!

Victor Hugo Cavalcante: Conte-nos as próximas novidades para o segundo semestre de 2019.

Como falei anteriormente, logo mais em todos os cinemas nacionais estreia O Troco, meu próximo longa! Muita música massa vindo fresquinha, um Ep bem gostoso de ouvir e espero que a galera curta muito! Shows por todo Brasil e quem sabe próximos filmes ou novelas, né?! (Risos)