Liga das Patinhas: Em proteção aos amigos de quatro patas

Créditos: Facebook

Victor Hugo Cavalcante: Primeiramente muito obrigado por nos conceder esta entrevista e gostaria de começar perguntando: Como começou a história da Liga das Patinhas?

Liga das Patinhas: Começou com a vontade de ajudar os animais em situação de rua ou oriundos de maus tratos. Começamos num lugar pequeno e depois, com a força de vontade da Lidiane, ela trocou a casa que tinha na cidade por um lote na zona rural e fomos crescendo e nos tornando conhecidos. Isso foi muito bom, pois, dessa forma conseguimos mais ajuda!

Victor Hugo Cavalcante: Quantos animais em média vocês resgatam? Destes resgatados quando mais ou menos são adotados por uma nova família?

Nós temos, hoje, 80 animais. Não temos condições de resgatarmos muitos mais, por causa dos custos. Geralmente, três por mês ou ajudamos quem precisa com campanhas e pedidos de ajuda.

É mais fácil doar filhotes. No abrigo, temos muitos adultos. Então, as adoções ficam em zero.

Agora, a nossa parceira Simone tem uma feirinha de adoção, onde ela ajuda outros protetores a doar.

Victor Hugo Cavalcante: Para vocês enquanto organização sem fins lucrativos em prol aos animais o que poderiam melhorar em termos de leis para quem é pego maltratando ou abandonando animais de estimação?

Gostaríamos que realmente as leis vigentes se cumprissem. As pessoas não tem medo, pois, sabem que nada irá acontecer; que ficarão impunes.

Victor Hugo Cavalcante: Qual é a maior dificuldade que vocês enfrentam hoje em dia para cuidarem dos animais?

Falta de ajuda financeira, falta de conscientização, o preconceito (algumas pessoas mal intencionadas usam a causa para angariar fundos, mas, não usam com os animais e sim para elas: ficam com o dinheiro, isso causa dúvidas em algumas pessoas, prejudicando quem realmente trabalha), falta de estrutura, falta de atendimento gratuito {hospital público}, o preconceito com animais SRD (Sem Raça Definida), algumas pessoas querem animais de raça, ou o que pensam como status.

Victor Hugo Cavalcante: Além do Facebook (Perfil e página) e Instagram, vocês possuem um canal no Youtube, como surgiu a ideia de criar o canal e transforma-lo em mais um meio de comunicação entre a Liga das Patinhas e o público?

A ideia surgiu como mais uma forma das pessoas conhecerem o nosso trabalho e outra forma de monetizar nossas ações. Muitas pessoas querem ajudar, mas, não com dinheiro nem com voluntariado. Então, podem nos ajudar se inscrevendo no canal e assistindo os vídeos.

Victor Hugo Cavalcante: O que devemos fazer se queremos adotar algum animal da Liga? Explique-nos mais sobre o processo de adoção animal feita pela Liga das Patinhas.

Utilizamos um questionário, visita ao local onde o animal irá morar e assinatura do termo de adoção e responsabilidade.

Victor Hugo Cavalcante: Para você enquanto protetor animal, qual é a importância de surgirem cada vez mais locais que abriguem animais em situação de rua?

Os locais para abrigo de animais são importantes, pois, muitas vezes vamos socorrer só que não temos onde colocar. Mas, o mais importante seria a adoção desses animais. Não que eles passassem a vida num abrigo, CCZ ou lares temporários.