Bailanina: Sem danças na hora de escolher a roupa perfeita para sua pequena

Créditos:

Victor Hugo Cavalcante: Primeiramente muito obrigado por nos conceder esta entrevista e gostaria de começar com a seguinte pergunta: Segundo nossa reportagem sobre este e-commerce, a Bailanina surgiu após você ter sua primeira filha, Helena (2 anos), e perceber que muitas vezes os pais compram roupas para ocasiões especiais que serão usados uma única vez. Para você enquanto empresário de aluguel de roupas, a Bailanina pode ser considerada como um exemplo de sustentabilidade? Por quê?

Bailanina/Rubia Basile: Oi Victor, eu que agradeço o convite.

Sim, nós nos consideramos uma empresa que tem por propósito oferecer uma alternativa econômica, prática e consciente para o mercado de moda infantil e para as mamães. Antes de fundar a Bailanina, fomos estudar o consumo neste setor e os números foram alarmantes: uma mãe chega a gastar (em reais) 35% a mais com os filhos do que com ela mesma, mas 52% das roupas são utilizadas uma única vez. Os motivos pelo pouco uso são diversos: faltam ocasiões para usar a roupa novamente, comprou por impulso e depois não gostou e quando foi usar novamente, já não cabia mais.

Nós nos preocupamos com a sustentabilidade e a nossa alternativa permite que uma mesma roupa seja usada de 6 a 10 vezes, sem perder qualidade. Com a locação incentivamos um consumo mais consciente nesta cadeia.

Victor Hugo Cavalcante: Porque a empresa tem este nome? Como se chegou a ele?

Buscamos algumas inspirações e nossa ideia era ser moderna. No mercado de moda infantil, a maioria das marcas usa tons claros e nomes em inglês. Nossa alternativa é para mães modernas e práticas, por isso, escolhemos cores fortes (roxo e amarelo) e um nome em português e forte. A Bailanina é a junção de BAILA que remete a dança, festa com NINA que remete a menina.

Victor Hugo Cavalcante: Existem muitas empresas que alugam ternos e vestidos, mas geralmente voltados ao público mais adulto, como você enquanto empresária deste ramo enxerga isto, seria uma desatenção dos comerciantes da área ou teria mais a ver com o lucro obtido por atender um público já existente e fiel?

Não vejo desatenção, mas sim uma questão de foco. Existem empresas que fazem locação de vestidos para daminhas, por exemplo. A Bailanina surgiu para complementar esse mix que já existe, pois trabalhamos com daminhas, batizados, aniversários, casamentos e até mesmo roupas mais simples, sempre no universo infantil.

Não acredito que uma mesma empresa possa fazer locação, com peças de qualidade e atendimento personalizado, para vários públicos diferentes. É preciso escolher um mercado, e foi isso que fizemos. Acredito que as demais empresas também!

Victor Hugo Cavalcante: Quais locais vocês mais costumam atender fora da cidade de São Paulo? Como é feito o empréstimo e a devolução nestes casos?

Hoje, conseguimos atender a cidade de São Paulo em até 60 minutos após recebermos um pedido, pois trabalhamos com um mix na nossa logística: entrega por carro (com um parceiro fixo), motoboy (Loggi) e bicicleta (Courrieiros). Já conseguimos atender outras cidades (dentro do estado de São Paulo), mas precisamos de um tempo maior, já que a entrega é feita pelos Correios. A cliente continua recebendo a peça em casa, mas a devolução é realizadas pelos Correios. Já enviamos a etiqueta e embalagem que a peça deve ser postada para ser devolvida.

Victor Hugo Cavalcante: A empresa fica em São Paulo, mas ela existe apenas como e-commerce ou tem local fixo também para quem mora na capital de SP?

Somos um e-commerce! Temos o nosso escritório, mas não loja!

Victor Hugo Cavalcante: Você atende o público feminino-infantil, pretende alguma dia atender os mocinhos também? Por quê?

Recebemos diariamente esse pedido das mamães de menino. Pretendemos sim! Quem sabe ano que vem não chega o Bailanino. (Risos)

Victor Hugo Cavalcante: Quais são os valores do aluguel das roupas? O valor é um preço fixo por roupa ou por localização do cliente?

O valor varia pelo estilo da peça, mas principalmente pela grife do vestido. Temos vestidos que custam mais de R$4.500, como os da grife Dolce & Gabbana. Neste caso, o valor da locação é mais alto, por exemplo.

Os valores do nosso aluguel oscilam de R$ 50 a R$ 250. Tem para todos os bolsos!

Victor Hugo Cavalcante: Quais marcas de grifes vocês alugam além de Dolce & Gabbana, Burberry e Paola da Vinci? Existe alguma procura maior por uma certa marca? Qual?

Trabalhamos com várias grifes nacionais, como a Silmara Bebê, Fátima Rendas, Anjos Baby e também internacionais, como Janie and Jack. Temos uma procura grande pela nossa linha de batizado e também vestidos para as festas de um ano, que tendem a ser peças caras e realmente compradas para serem utilizadas uma única vez.

Victor Hugo Cavalcante: Você pretende alguma dia atender fora do estado de SP, como é calculada a logística de empréstimo dentro e fora de São Paulo (cidade)?

Hoje já atendemos outras cidades. A logística é simples, mas mais lenta!

Victor Hugo Cavalcante: O e-commerce, que em português significa comércio eletrônico, é uma modalidade de comércio que realiza suas transações financeiras por meio de dispositivos e plataformas eletrônicas, como computadores e celulares. Para você enquanto empresária deste ramo quais as facilidades e dificuldades que você enfrenta? Por se tratar de aluguel de roupas as dificuldades aumentam neste caso ou não? Por quê?

Eu, pessoalmente, acredito que o e-commerce é o futuro para a maioria das empresas e marcas. Além de não tem um alto custo para manter um ponto físico, com o nosso site e instagram temos um alcance infinitamente maior de potenciais clientes. Para mim a parte ruim é ficar mais distante da nossa cliente. Nosso objetivo é atender essa mãe que tem um dia tão corrido, mas não abre mão de ver sua filha bem vestida e, por isso, a opinião dela é extremamente importante, ainda mais para uma empresa jovem como a gente.

O que fazemos para reduzir essa distância, além de realizar um atendimento personalizado é nos deslocarmos, sempre que possível, para entregar/retirar os vestidos e conversar com essa cliente. Muitas ficam surpresas, no primeiro momento, quando eu vou buscar a peça, mas abrem um ótimo canal com feedbacks e dicas de melhorias.

Vale ressaltar que nosso escritório está e sempre estará aberto a receber as mamães que querem conhecer melhor nossa operação.