Emílio Sagaz traz ironias e críticas em single com raízes no reggae e no rap

Créditos: Reprodução/Internet

Um Lindo Temporal (O Ego do Deus e A Inveja do Diabo) é o mais recente single do cantor e compositor maranhense Emílio Sagaz.

Com sonoridade baseada no ragga, no rap e no dub, a faixa traz diversas críticas sociais e políticas.

"Essa é uma música que bate no conservadorismo e na contradição das pessoas. Muitos fazem o que não devem e simplesmente colocam a culpa no Diabo. Ou mesmo aquele cara que conta as notas de 100, mas não assina a carteira da empregada. No final dizemos amém e está tudo perdoado?", diz Emílio.

Embora a canção tenha versos que citam preceitos religiosos, ela não é uma crítica à religião e, sim, aos comportamentos que em maioria das vezes tentam ser justificados por meio do sagrado.

Trechos como "segue ritos do sagrado, mas vai votar no neonazi" e "assim Jesus Cristo não vai voltar" sintetizam a ideia, que traz a realidade dos discursos de ódio adotados e ecoados nos últimos tempos.

Emílio também usa da ironia e da própria contradição ao sinalizar que, no meio deste caos, basta ouvir uma música romântica que o distraia.

"O refrão é propositalmente romântico para entrar nessa contradição. Busquei colocar muitas coisas nessa faixa. Muito além do que só uma crítica política, é um retrato do cidadão de bem, do cara que canta sobre ostentar, mas que, na verdade, não vive o que ele diz.", explica o artista.

Um Lindo Temporal (O Ego de Deus E A Inveja do Diabo) está disponível em todas as plataformas de streaming com distribuição da OneRPM e ganhará em breve um videoclipe.

A letra é assinada pelo próprio Emílio Sagaz, enquanto a música é de Tainan Lopes.