Servindo para transformar vidas

Créditos: Reprodução/Internet

Em todo inicio do mês de julho se inicia um novo ano rotário em que as gestões passadas são encerradas e um ciclo novo se inicia para toda a família rotária.

Em Campinas não foi diferente, e para o Rotaract Club de Campinas - Convivência, fundado em 2019, esta transição não significou o fim, mas sim a continuação de um trabalho bem feito em prol à humanidade.

Se antes o lema rotário era O Rotary Abre Oportunidades, a desta nova gestão (21/22) é Servir Para Transformar Vidas.

Quer saber um pouco mais do trabalho do clube campineiro, suas novidades para projetos e sobre a presidente Gabriela Bueno Falsetta? Então confira mais na entrevista abaixo:

Victor Hugo Cavalcante: Primeiro é um prazer poder recebê-la em nosso site, e gostaria de começar perguntando: Como surgiu a sua relação com a família rotária e com o Rotaract Club de Campinas - Convivência?

Gabriela Bueno Falsetta: Eu estava no primeiro ano da minha faculdade de Direito e comecei a participar da formação do Centro Acadêmico.

Lá conheci o Luís Fernando, que me convidou para uma reunião.

Depois de muitas semanas insistindo eu acabei indo, as reuniões aconteciam sábado, eu tinha muita preguiça de ir porque sábado era meu único dia de descanso.

Nesse dia, 27 de abril, eu fui e não entendi absolutamente nada, uma nomenclatura diferente, abreviações, projetos, ações.

Mas mesmo assim, gostei da energia das pessoas e comecei a frequentar todo final de semana, e me envolver nas ações.

Victor Hugo Cavalcante: Você está mais uma vez a frente do Rotaract campineiro como presidente, fazendo um panorama da gestão passada (20/21) com a atual que começou no dia primeiro de julho, o que você espera poder fazer nesta gestão em prol á população de Campinas?

Eu esperei muito para ser empossada como presidente, e tinha planejado cada momento do meu ano, projetos, companheirismo, eventos.

Mas em março de 2020 recebemos a notícia da quarentena e começou o sentimento de incerteza.

Quando assumi a presidência efetivamente, em julho só a incerteza era a certeza, portanto, deixei de lado o meu planejamento e fui trabalhando com o tinha, com os membros do clube que estavam animados, com as necessidades que apareciam na nossa comunidade.

A diferença entre o meu primeiro ano como presidente (que se encerrou no dia 04 de julho) e com o ano rotário que começou é que eu já me sinto vitoriosa e sei que estou rodeada de pessoas extremamente competentes, eu conheço melhor meu time e sei aproveitar o melhor de cada um.

Temos planos para a causa animal, casas de acolhimento de pessoas em situação de rua, estamos planejando uma grande campanha de arrecadação em conjunto com os outros clubes de Rotaract (Copa 4590) e o que encontrarmos de necessidades a nossa frente vamos ajudar.

O Rotaract está aqui para servir e melhorar o mundo!

Victor Hugo Cavalcante: Para você enquanto rotaractiana o que nunca pode faltar num Rotaract Club e num associado?

O incômodo, o Rotaractiano está sempre incomodado, com o mundo, com a qualidade de vida das pessoas, com a injustiça e com os menos favorecidos.

Isso que nos movimenta, se incomodar e querer resolver o problema.

Já o clube precisa entender que o bom é inimigo do ótimo, não tenha medo de errar, faça, se movimente.

Victor Hugo Cavalcante: O que e o quanto significa o Rotaract e a família rotária para você enquanto associada e cidadã de Campinas?

A família rotaria é algo extremamente positivo para a minha vida, cada projeto e ação que realizamos agrega conhecimento profissional, pessoal, inteligência emocional e criatividade.

Eu me tornei uma pessoa melhor com o Rotaract e ainda tomei conhecimento do coletivo.

Victor Hugo Cavalcante: Qual ou quais foram os projetos e ações do Rotaract Club de Campinas - Convivência que você mais curtiu participar?

Eu amei o Apoio Pet, onde nós realizamos uma campanha de arrecadação de itens de higiene, rações e petiscos para os cães e gatos das ONGs Laticão e Projeto Maya, eu sou uma amante da causa animal então foi uma grande realização para mim.

Além de 220 quilos de ração, conseguimos a doação de consultas gratuitas para os pets e eu ganhei mais uma "filha canina", pois adotei uma cachorrinha do Projeto Maya.

Outra foi o Espaço Semear onde construímos uma horta vertical para os moradores da Casa Juninho que abriga dependentes químicos em recuperação.

Uma horta por incrível que pareça tem um impacto enorme, você fornece nutrição para as pessoas, mas trabalha o psicológico, existem diversos estudos que falam sobre o benefício da jardinagem.

Além de estimular a criatividade e a memória visual, a jardinagem melhora a atividade motora e tem um efeito ao mesmo tempo motivador e relaxante.

Um pequeno projeto do nosso clube com certeza terá impacto na recuperação dos moradores da Casa Juninho.

Victor Hugo Cavalcante: Já existe algum projeto ou ação em mente ou em formação para este novo ano rotário?

Sim, temos o Socializando a Leitura que começou agora e será finalizado em meados de agosto.

O projeto consiste na construção de uma sala de leitura na Casa Juninho a mesma do projeto Espaço Semear, já conseguimos a verba para a realização do projeto.

E temos alguns livros, agora vamos levar uma CPU e uma impressora (doações).

Além disso, temos uma ação no hemocentro da Unicamp de Campinas, para agradecer as pessoas que fazem doação de sangue, além desses alguns membros do clube são doadores.

E por fim vamos fazer uma rifa de um Ipod para conseguir recursos para os outros projetos.