Fumar não causa apenas problemas respiratórios

Créditos: Pixabay

Ontem, 31 de maio, foi celebrado o Dia Mundial Sem Tabaco.

A data foi criada em 1987, pela Organização Mundial da Saúde (OMS), para alertar sobre as doenças e mortes evitáveis relacionadas ao tabagismo.

O hábito de fumar é, com certeza, um dos que mais traz danos à saúde.

O tabagismo é um velho conhecido de muitos problemas de saúde sejam respiratórios ou não.

A constatação de que o cigarro contém substâncias tóxicas e que pode provocar mais de 50 doenças graves já é de conhecimento da grande maioria da sociedade, no entanto, ainda convivemos com um número significativo de fumantes.

Estima-se que o cigarro mata mais de oito milhões de pessoas por ano (OMS), além de todas as outras consequências para quem fuma ou até para quem convive com um fumante.

Cigarro x saúde capilar

"Fumar ajuda na queda de cabelos, isto porque ao longo dos anos as substâncias tóxicas do cigarro como a nicotina enfraquecem as mechas e levam a uma degeneração dos folículos capilares que abastecem as extremidades do corpo, como é o caso do couro cabeludo. Pode-se tornar um dos principais causadores da queda do cabelo, resultando até em uma queda acentuada, com sinais de calvície. O fluxo sanguíneo é prejudicado pelo acúmulo de nicotina que se aloja nas paredes das veias, reduzindo a circulação sanguínea, o fumo impede que nutrientes importantes, que mantêm os cabelos saudáveis e bonitos, cheguem até a raiz.", explica a tricologista Dra. Luciana Passoni.

A Dra. Luciana Passoni também destaca:

"A temperatura do cigarro também contribui para o envelhecimento precoce, deixando o cabelo com aspecto opaco e ressecado, favorecendo o surgimento de pontas duplas. Por mais que o fumante cuide dos fios, eles nunca terão o mesmo brilho e a mesma força de um cabelo bem cuidado de um não-fumante.".

Tabaco x pele

Muitas pessoas sabem do malefício do cigarro principalmente na relação que o efeito cutâneo tem com alguns cânceres no corpo humano, no coração e na pele também.

"A nicotina e outras toxinas presentes no cigarro aumentam a produção de radicais livres, são moléculas que agridem o funcionamento normal de várias funções da pele, na vascularização inclusive na quebra de DNA e logo isso se vê no médio e longo prazo os efeitos do cigarro na pele. Um dos efeitos muito aparentes e através da perda do colágeno, vão surgindo uma pele com muito mais rugas e linhas de expressão, outro ponto bastante fácil de identificar é o aspecto da cor, ela vai assumindo um tom mais acinzentado, eventualmente, até bem opaco, mais esverdeados, os poros ficam mais dilatados e por obstrução dos folículos pode aparecer uma grande presença de cravos.", conta Dr. Fernando Macedo, dermatologista.

Dependência emocional x fumo

"Sem desprezar que a nicotina gera dependência, mas mal sabemos que a dependência emocional é um dos grandes motivos para não largar o fumo. O cigarro acaba sendo a muleta daquela pessoa que não consegue controlar suas emoções ou até mesmo seu trauma.", afirma Dr. Junior Silva, psicanalista e referência no assunto.

"O cigarro ainda pode causar inúmeras doenças, como problemas respiratórios, impotência sexual, infertilidade, complicações na gravidez, envelhecimento precoce, enfraquecimento do olfato e do paladar.", complementa Dra. Luciana.

Mas então, como é possível parar de fumar?

"Quantas pessoas sabem do mal que ele faz e mesmo assim não consegue parar de fumar, mas tem outro lado que tenho certeza de que você já viu também, que são pessoas que às vezes fumam um ou dois maços de cigarro por dia e do nada diz: Não vou fumar mais! E de repente para de fumar, sabe por quê? Porque a decisão do hoje faz a mente dela dizer basta para todo mal que o cigarro faz, é uma decisão onde a mente entende: Tenho vício, me faz mal, não sei como fazer, mas estou decidido a parar. A decisão consciente faz a pessoa entender tudo isso e procurar ajuda para aquilo que ela não sabe da conta cozinha. Isso acontece também quando a pessoa é viciada em drogas e álcool. Quando ela decide sair dessa vida, ela toma consciência e age onde ela dá conta e sem medo pede ajuda para profissionais onde não dá conta. Esse é o caminho para todo vício.", explica Dr. Junior.

Os médicos especialistas deixaram algumas dicas para quem quer parar de fumar:

A tricologista Dra. Luciana Passoni afirma que se estiver pensando em parar de fumar, saiba que esses danos causados no seu cabelo podem ser reversíveis.

Corte o cigarro e aposte em uma dieta balanceada para começar a ter um cabelo saudável de volta, já que o crescimento dos fios acontece de forma bastante rápida, cerca de um centímetro por mês.

Já o dermatologista Dr. Fernando Macedo afirma que o mais importante é a pessoa parar de fumar para que esses danos tendem a diminuir, mas a pele mesmo para o fumante já deveria ser cuidada com ativos para a promoção de novos colágenos, para aumentar a elasticidade, a lubrificação, a hidratação e também procedimentos que possam melhorar o envelhecimento causado pelo fumo, podendo usar lasers principalmente.

A toxina botulínica pode ser usada para atenuar as rugas de expressão e também os lasers, não somente para a produção de colágeno e reverter esse envelhecimento, mas também para melhorar a qualidade e o aspecto da coloração da pele.

E enfim o psicanalista, hipnólogo e coach Dr. Junior Silva afirma:

"A hipnoterapia é um recurso pouco conhecido, mas muito eficaz para largar de fumar, onde em 93% dos casos ela para de fumar em uma única sessão, porque vamos às causas emocionais que as prende a pessoa ao cigarro.".

Quando questionado se qualquer um pode conseguir a parar de fumar, o psicanalista afirmou:

"A pessoa pode ter boas intenções, mas o segredo é a decisão do querer parar de fumar, ter consciência não basta, tem que tomar a decisão: Não quero mais isso para minha vida. Com essa decisão e com ajuda do profissional ela vai conseguir vencer o vício do cigarro.".