Papagaio Sabido quer ser livre e alçar voos mais altos em novo disco autoral

Créditos: Diego Moreira

São tempos de isolamento social, mas o grupo carioca Papagaio Sabido quer falar de liberdade e de voos coletivos.

Na última sexta, 21/5, estreou em todas as plataformas digitais, o novo álbum da trupe, Voo Livre, que traz 12 canções autorais e inéditas compostas por todos os integrantes:

Diego Moreira (voz e violão), Guilherme Pimenta (violino), Pedro Santos (voz e pandeiro), Thiago Gama (cavaco e bandolim) e Thiago Oliveira (bateria).

Este é o segundo álbum de estúdio da banda, que investe numa mistura de diversos ritmos do cancioneiro nacional como o samba, o xaxado, o baião, entre outros, aliada a arranjos e letras refinadas, que transformam cada canção numa experiência sonora única e bem brasileira.

A distribuição é via Tratore pelo selo Boemia.

Voo Livre tem produção musical de Daniel Wally e do próprio Papagaio Sabido.

Outro destaque são as participações de Alice Sales em Atestado de Óbito, Gabriella Pasche em Recomeço e Mariana Milani em Semillas, sendo esta coautora da faixa.

O álbum traz ainda a voz e coautoria de Giuliano Eriston em Agradecer e a beleza da viola caipira de Daniel Ganc em De Mérito.

O percussionista Márcio Sorriso assume as batidas em todas as faixas do disco, gravado e mixado por Daniel Wally no Estúdio Floresta, e masterizado por Alexandre Rabaço.

Continuando sua trajetória em busca de novos ares iniciada no EP Curupaco, que representa o nascimento do Papagaio, e que seguiu com o álbum Revoada, a banda começou a produzir Voo Livre em março de 2020, início da pandemia.

As 12 canções também refletem esse momento e trazem à tona temas como a liberdade, amor, respeito, gratidão, pinceladas por letras repletas de poesia, construídas coletivamente, mesmo que a distância.

Questões sociais como o preconceito, o racismo estrutural, a meritocracia e o respeito ao outro também são parte do repertório dos cariocas, que enchem de ritmo e poesia músicas inspiradas em sentimentos, movimentos sociais e em cenas do cotidiano.

"A pré-produção aconteceu praticamente toda de forma remota. Cada integrante trazia sua ideia e aos poucos íamos criando juntos melodias, harmonias, tons, ritmos, arranjos e até mesmo convenções por APPs de conversa. No começo foi muito difícil, mas com a tecnologia a nosso favor, conseguimos seguir planejando cada passo, até o momento de ensaiar no estúdio e, de fato, gravar." comenta Pedro Santos, vocal da banda.

"Voo Livre também representa o novo momento do Papagaio. Nós nascemos em Curupaco, voamos em Revoada e agora somos mais maduros e um verdadeiro coletivo que caminha sempre junto." completa.

O primeiro single é Voo Livre, que dá nome ao álbum.

Com letra de Thiago Gama e melodia de Diego Moreira, a canção faz uma reflexão sobre a importância do respeito à individualidade de escolhas e sua consequente aceitação para o convívio em sociedade.

"É um desejo que o cortejo seja livre/E não se prive do ensejo de durar/Perfeito doce feito fosse bem aceito/Sem ter o jeito agridoce de julgar.", dizem alguns versos da faixa.

"O álbum traz também esse desejo mais íntimo que cada um tem de ser feliz, de ter paz de espírito, de poder fazer o que ama, de estar perto de quem ama, de fazer o que gosta. O Voo Livre também está associado a sentir-se livre de coisas pesadas, é um pouco do que vivemos hoje." diz Diego Moreira, que também assina a arte de capa do álbum.

Papagaio Sabido dá o seu recado de liberdade com canções que passeiam entre diversos ritmos brasileiros e latinos, como o baião em Aroeira Araruama, o ijexá em Azul Marinho, os ritmos latinos em Entre o Peixe e o Aquário, o samba de breque em Adega Benjamim, o xote em Dário, entre outros.

Completam o disco Rua sem Saída, De Mérito, Agradecer, Atestado de Óbito, Recomeço e Semillas, em espanhol.

"Uma palavra que resume bem este disco seria 'amadurecimento', um processo que gosto de acreditar que está todo mundo passando neste momento." diz Guilherme Pimenta, que assume os violinos e as composições em Voo Livre.

Parcerias e convidados fazer crescer a Família Papagaio

Outro destaque de Voo Livre são as parcerias com amigos e parceiros do Papagaio, convidados para compartilharem um pouco de seu talento no novo trabalho da trupe.

"O Guilherme Pimenta fez duas músicas com pessoas de fora do grupo e resolvemos chamá-las para gravarmos, que são o Giuliano Eriston (Agradecer) e a Mariana Millani (Semillas). Nós também convidamos a Alice Sales, que já tinha um projeto com a banda, para gravar Atestado de Óbito. São amigos que também fazem parte da nossa família musical e que já estavam conectados conosco." diz Thiago Gama.

Daniel Ganc também foi convidado para fazer a viola caipira em De Mérito e Márcio Sorriso é quem comanda a percussão em todas as faixas.

À convite de Diego Moreira, a cantora Gabriella Pasche faz os vocais da música Recomeço.

"Eu boto fé/Eu vivo a esperança /E mando embora /Um saco cheio de tristeza/É que ao lembrar o peito não descansa /A gente fica com a memória presa.", diz um trecho da canção.

"Esse é um disco construído com muito amor, compreensão e amizade. Todo mundo envolvido no projeto quer apenas levar esse voo cheio de boas energias o mais longe possível." completa Diego Moreira.

A direção de arte de Voo Livre é de Gabriela Mahaivi, as filmagens e as fotografias são da Camisa Preta Filmes e Luciana Magoulas (Cana Caiana Produções) e Maurício von Helde assinam a produção executiva.

Com Voo Livre, Papagaio Sabido quer alçar voos mais altos no cenário musical brasileiro. Vem voar com a gente!

Sobre Papagaio Sabido

Em atividade desde 2013, a banda carioca Papagaio Sabido mistura samba, choro, bossa nova, MPB, forró, além de diversos ritmos latinos e brasileiros, revisitando importantes autores e construindo sua identidade através de jeito próprio de interpretar.

Formado por cinco jovens músicos cariocas, o grupo lançou seu primeiro EP Curupaco, em 2016; o primeiro álbum, Revoada, em 2017, além do single Feito Política, de 2019.

Conhecidos na cena carioca, o grupo formou-se em apresentações de choro no tradicional Arco do Teles.