Navegando entre os mares do sucesso com Manuel Marinho

Créditos: Divulgação

Um a cada dez estudantes brasileiros é vítima de Bullying e foi vendo a necessidade de uma discussão sobre o tema através da arte que a Dagnus Produções anunciou a volta do musical Bullying.

Entre os atores que irão reapresentar o sucesso de 2019 está o jovem de 15 anos Manuel Marinho.

O jovem que vem estudando e se dedicando para o teatro desde os seus oito anos de idade e já fez parte de algumas peças como: Queijo e Goiaba, Crônicas, A Bela e a Fera, também teve a honra interpretar seu primeiro protagonista no musical Heathers em 2020.

Agora o jovem faz mais uma estreia com Felipe, seu segundo protagonista e primeiro mocinho no teatro.

E nós conversamos com ele para saber mais sobre o personagem, a peça, sua carreira e seus sonhos profissionais.

Victor Hugo Cavalcante: Primeiro é um prazer poder recebê-lo em nosso site, gostaria de começar perguntando: Como começou sua relação com as artes cênicas?

Manuel Marinho: Sempre tive contato com a arte em geral, sinto que nasci para servir a arte e transformar o mundo através dela.

Quando eu tinha uns cinco anos eu assisti uma peça teatral e me apaixonei por isso, decidi que queria fazer do teatro a minha casa.

Victor Hugo Cavalcante: Quais foram os trabalhos mais incríveis e os mais complicados que você já interpretou? Por quê?

Já fiz algumas websérie, musicais e peças teatrais entre elas nacionais e Broadway.

Mas com toda certeza fazer teatro raiz é o mais complicado, porém o que mais amo; e Bullying o Musical também já tem um espaço garantido no meu coração.

Victor Hugo Cavalcante: Como você consegue driblar a ansiedade antes de entrar nos palcos?

Se eu falar que fico ansioso para interpretar é mentira. Mas para cantar quase morro, mas tento pensar que tenho que entregar o melhor para a plateia.

Victor Hugo Cavalcante: Um a cada dez estudantes brasileiros é vítima de Bullying, anglicismo que se refere a atos de intimidação e violência física ou psicológica, geralmente em ambiente escolar.

Vendo a necessidade de uma discussão sobre o tema através da arte a Dagnus Produções anunciou que o musical Bullying de 2019 está de volta, para você, enquanto um jovem ator, qual é a importância de cada vez mais ser debatido este tema nos teatros e demais performances artísticas?

Eu sempre falo que eu acredito no poder da arte, é uma forma de passar uma mensagem para a sociedade, principalmente sobre bullying um assunto super sério, torço para que as pessoas que assistirem Bullying O Musical saiam transformadas.

Victor Hugo Cavalcante: Ainda sobre a temática da peça Bullying, para você qual é a importância de estrear numa peça com tal temática?

Como já disse acredito que a arte possa ajudar, transformar a sociedade e se as pessoas saírem tocadas de alguma forma do teatro e aplicar a mensagem passada pelo musical em suas vidas vou sentir a sensação de dever comprido.

Victor Hugo Cavalcante: O que podemos esperar da sua participação na peça Bullying e por quê?

O musical está ficando incrível, cada detalhe. Eu nunca vivi o mocinho da história, então é a minha primeira vez, estou me esforçando muito para entregar essa novidade para vocês da melhor forma.

Victor Hugo Cavalcante: Quais as principais dicas que você dá para quem deseja algum dia se tornar ator/atriz?

Em minha opinião o mais importante é a dedicação, e não querer dar um passo maior que a sua perna, tudo tem seu momento, se você se dedicar uma hora acontece. E lógico que muito estudo.

Victor Hugo Cavalcante: O enredo de Bullying, O musical traz os estudantes do Colégio Epaminondas que tentam sobreviver ao último ano do Ensino Médio, conte-nos um pouco sobre o personagem que você interpretará e o quanto de roteiro tem no personagem e o quanto de Manuel tem no personagem?

Eu vou fazer o Felipe, meu primeiro mocinho, o menino bom da história. Eu acho que tem muito de mim do Felipe, nós vimemos a mesma energia e dividimos o mesmo sonho.

Victor Hugo Cavalcante: Quais as principais semelhanças e diferenças entre o Felipe e você?

Acredito que nós somos muito parecidos, porque temos o mesmo propósito de vida, queremos seguir nosso sonho de ser ator e viver da arte.

Victor Hugo Cavalcante: Sobre o bullying, você já sofreu ou já presenciou algum? O que tu fez para acabar com a situação?

Quando eu estava no Ensino Fundamental sofri bullying por querer viver da arte as pessoas não viam isso com uma opção, pensavam que era só uma bobeira/brincadeira, então quando fiz minha primeira peça profissional fiz questão de dar um ingresso para as pessoas que faziam bullying comigo e comecei ignorar as ofensas porque a minha arte era maior do que qualquer coisa.

Victor Hugo Cavalcante: Quais artistas mais te influenciam e no que eles te influenciam?

Que pergunta difícil, pois tem muito gente boa e talentosa, mas meu ídolo sempre foi o Miguel Falabella, pra mim ele é incrível em vários aspectos, como por exemplo, o jeito que ele trata os fãs e a sua atuação.

Victor Hugo Cavalcante: Se fosse possível contracenar com algum ator/atriz brasileiro quais seriam suas preferências e por quê?

Sem dúvida eu escolheria o Miguel Falabella, desde muito pequeno sonho com esse dia.

Victor Hugo Cavalcante: Conte-nos o que podemos esperar para os próximos trabalhos além do que já foi comentado nas perguntas acima.

Tá vindo muito coisa boa pela frente, projetos pessoais, trabalho audiovisual esse ano e o próximo prometem.